Buscar
  • cris mello

Vovó Baby Boomer, Whatever!

Atualizado: 3 de nov. de 2021


No dia 31 de outubro de 2019 postei meu primeiro artigo no LinkedIn, e faço hoje o repost aqui.


2019 foi um ano intenso de busca por recolocação no mercado de trabalho.


Concluí uma graduação e iniciei um MBA (concluído em 2020) e fui, aos poucos, me preparando para encarar o mercado. Eu estava otimista!


Mas a experiência com os processos seletivos foi me mostrando que o buraco era bem mais embaixo. Me deparei com algo bem mais profundo, a discriminação.


A foto, muito mais do que o texto, expressa a minha perplexidade. Foi tirada em Amsterdam, em 2015, em uma exposição temporária que tive a sorte de ver, com obras dos gênios Vincent van Gogh e Edvard Munch. Dentro da cabine, meu grito (de êxtase!) disparou a câmera. Para mim uma foto emblemática de um momento muito especial, pertinente ao texto do artigo e ao dia de hoje. Vivas às bruxas!


Repost - LinkedIn - Published on 31 de outubro de 2019


Há 2 meses fiz uma postagem usando a foto acima com os seguintes dizeres: quero estar no lugar certo, na hora certa, em contato com a pessoa certa, para gritar: "essa vaga é minha!"


Já estava desempregada desde julho de 2018 e, mesmo sendo positiva e sabendo que em tempos atuais o acolhimento à diversidade é imprescindível, como baby boomer - um caso nada raro de dissemelhança nos dias de hoje -, era de se esperar certa dificuldade para conseguir uma vaga. Mas, mesmo assim, fui à luta.


Com longa experiência de trabalho, cursando MBA em Inovação para me atualizar, iniciei a busca, inicialmente, por setores e cargos, num árduo trabalho de pesquisa, verificação de contatos para envio de currículo - networking singrando de vento em popa.


Aos poucos fui me aprofundando nas pesquisas, conheci mais de perto o Linkedin e decidi trilhar esse caminho vasto de oportunidades em todos os sentidos. Rapidamente a curiosidade me levou até o Linkedin Learning e, para lá, retorno com frequência para ampliar meus conhecimentos. Aprendizado contínuo é, em mim, uma sede insaciável.


Mas, gente! O mundo é líquido, o futuro é hoje e eu quero realizar um trabalho em equipe em uma empresa que tenha valores em consonância com os meus. Já empreendi bastante e agora, que me sinto mais preparada para trocar experiências, quero intraempreender.


Já foram quatro meses nesse movimento. Me candidatei para um incontável número de vagas, recebi "match", avancei em processos, participei de entrevistas virtuais, recebi retornos, interagi com recrutadores e colaboradores de empresas de meu interesse. Tenho minhas preferências, quem me segue sabe, e estou apenas aprendendo. Como costumo dizer: "fazer fazendo". Trabalhar é um propósito e, nessa fase da vida, uma condição para aqueles que amadureceram. Continuo na busca, otimista como sempre, mas tenho pressa.


Durante as minhas caminhadas tenho os maiores e mais divertidos insights. Elucubrando sobre tarefas, atividades, funções, papéis, ocupações etc. que pudessem estar em consenso com a maturidade dos baby boomers, me veio à mente a frase: vovó baby boomer, whatever! Ri muito disso e arrisquei usar como título do meu primeiro artigo no LinkedIn.


Mas o assunto é sério! A parcela de idosos vem crescendo e a de jovens diminuindo, segundo matéria publicada no site Valor Econômico do dia 22/05/2019.

Recrutadores! Precisamos olhar para a diferença entre juventude e jovialidade e pensar em inovar, não só contratando experiência e maturidade para cargos já existentes mas, também, criando novos projetos para empregar esse pessoal cheio de talento, energia e vontade de produzir.


Isso é ponto para sua empresa, isso é ponto para a sociedade, isso é ponto para todos nós. Quem sair na frente, vai colher os primeiros e mais doces frutos.

Persistindo confiante.

Saudações!





5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo